+ de 2 000 000 de visitas, MARAVILHOSO este retorno!
TENHO RECEBIDO LINDAS MENSAGENS DE SATISFAÇÃO PELAS POSTAGENS E ELOGIOS. CADA UMA TEM SIDO ESPECIAL. OBRIGADA!



domingo, 24 de abril de 2011

Desafio matemático


           Robervaldo criava patos. Certo dia, um homem apareceu em sua fazenda e lhe ofereceu R$200,00 por pato e R$50,00 por ovo. No total, Robervaldo tinha 12 patos. Porém, 2 deles eram de estimação, então ele resolveu não vendê-los. Os demais patos foram vendidos. Quantos reais ele obteve com essa venda?
        Obs: A resposta irei postar daqui 1 semana. Aguardem! Se alguém desejar resolver pode colocar a resposta no comentário deste post.
Fonte: Portal matemático

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Música (Terra à vista!)

                       

Música (Terra à vista!)

Pindorama, Pindorama
É o Brasil antes de Cabral
Pindorama, Pindorama
É tão longe de Portugal
Fica além, muito além
Do encontro do mar com o céu
Fica além, muito além
Dos domínios de Dom Manuel



Vera Cruz, Vera Cruz
Quem achou foi Portugal
Vera Cruz, Vera Cruz
Atrás do Monte Pascoal
Bem ali Cabral viu
Dia 22 de abril
Não só viu, descobriu
Toda a terra do Brasil

Pindorama, Pindorama
Mas os índios já estavam aqui
Pindorama, Pindorama
Já falavam tupi-tupi
Só depois, vêm vocês
Que falavam tupi-português
Só depois com vocês
Nossa vida mudou de uma vez

Pero Vaz, Pero Vaz
Disse em uma carta ao rei
Que num altar, sob a cruz
Rezou missa o nosso frei
Mas depois seu Cabral
Foi saindo devagar
Do país tropical
Para as Índias encontrar

Para as índias, para as índias
Mas as índias já estavam aqui
Avisamos: "olha as índias!"
Mas Cabral não entende tupi
Se mudou para o mar
Ver as índias em outro lugar
Deu chabu, deu azar
Muitas naus não puderam voltar
Mas, enfim, desconfio
Não foi nada ocasional
Que Cabral, num desvio
Viu a terra e disse: "Uau!"
Não foi nau, foi navio
Foi um plano imperial
Pra aportar seu navio
Num país monumental

Ao Álvares Cabral
Ao El Rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda quem me ouviu
Vou dizer, descobri
O Brasil tá inteirinho na voz
Quem quiser vai ouvir
Pindorama tá dentro de nós

Ao Álvares Cabral
Ao El Rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda quem me ouviu
Vou dizer, vem ouvir
É um país muito sutil
Quem quiser descobrir
Só depois do ano 2000
Palavra Cantada

Atenção professor, você pode dividir as partes da música para os alunos ilustrarem e formar um livro.
Fica legal!
Depois eu fotografei cada página do livro e montei um power point para passar para as outras salas. 
Veja slide acima!                                       

Jogo Palitos - a partir dos 6 anos

Educação Infantil
Jogos

Palito:
Idade recomendada: A partir de 6 anos.
Organização da Classe: Grupos de duas ou mais crianças.
Objetivo: Resolução de problemas envolvendo adição, subtração e comparação de quantidades; estimativa de quantidade; leitura e escrita de números; contagem.
Material: Palitos de fósforos ou algo similar; papel para anotações.
Regras: Cada jogador tem 3 palitos
A cada jogada os jogadores colocam suas mãos atrás das costas e deixam na mão direita uma quantidade de palitos que varia de 0 a 3 sem que o outro saiba. Os jogadores colocam então uma das mãos para frente e cada um fala quantos palitos acha que têm em todas as mãos juntas. Quando cada jogador fizer sua estimativa todos abrem a mão e conferem o resultado. Marca um ponto quem chegar mais próximo, ou adivinhar ao total de palitos. Depois de 5 a 10 rodadas ganha quem conseguiu mais pontos.
  • Com a classe em roda jogue algumas vezes com eles para que compreendam as regras.
  • Repita esse jogo umas 4 vezes ao longo de um mês, para que os alunos tenham tempo de aprender com o jogo.
  • Proponha algum tipo de registro. O registro auxilia na aprendizagem, na percepção dos avanços de cada um, e a perceber qual a compreensão que tiveram dos assuntos abordados com o jogo. Veja alguns registros que foram feitos para esse jogo por alunos de 6 anos.
Produções dos alunos :
Texto Coletivo:
Alunos da Ed. Infantil do Liceu Salesiano Nossa Senhora Auxiliadora de Campinas - SP
DICAS PARA O JOGO DO PALITO
  • Pensar antes de falar

  • Antes de começar o jogo, tem que usar a imaginação, se der, olhe no buraquinho da mão do amigo e depois conta quantos palitos ele tem, mas não pode deixar ele perceber

  • Não pode deixar a pontinha do palito para fora se não o amigo vê e ganha o jogo

  • Tem que somar os palitos das duas mãos, quem ganhar fica com os palitos do amigo

  • Deixar o amigo falar primeiro para depois a gente somar

  • Ficar atento ao número que o amigo fala várias vezes, pois pode ser, que ele tenha essa quantidade de palitos na mão

  • O importante é que todos participem
Use o jogo para propor alguns problemas:
  • Comece com duplas e depois faça em trios e quartetos, isso aumenta o grau de dificuldade das jogadas.
  • Aumente o número de palitos para 5 ou 6.
  • Juliana e Marina estavam jogando palitinho em uma rodada em que usavam 5 palitos cada uma. Juliana disse 8 e Marina disse 10. O total era de 7, quem marcou ponto nessa rodada? Por quê?
  • Cristiane e Andréa viram que em uma das rodadas o total de palitos das duas juntas era 4. Sabendo que nessa rodada elas jogavam com três palitos cada uma, quantos palitos cada uma poderia ter nas mãos?
  • Na mão de Patrícia havia 3 palitos e o total era de 6 palitos. Quantos palitos estavam na mão do outro jogador? (Observe que esse é um problema no qual faltam dados, pois não informamos quantos jogadores nem mesmo a quantidade de palitos, deixe que discutam entre si e ao final complete com eles as informações que faltam no problema)
  • Renato, Fernando e Carol jogavam palitinhos, com 3 palitos cada um. Quando abriram suas mãos havia 6 palitos no total. Quantos palitos cada uma poderia ter na mão? (observe que há mais que uma solução possível)
Para saber mais: A arte de Brincar - Adriana Friedmann, editora Scritta, 1996
Resolução de problemas - Kátia Stocco Smole, Maria Ignez Diniz, Patrícia Cândido, editora Artmed, 2001.











fonte: http://www.mathema.com.br/ ver na sessão jogos








segunda-feira, 18 de abril de 2011

Índio do Brasil - David Assayag (Música Indigena Brasileira)

http://youtu.be/trJCzSL6gPs

Lindas imagens dos índios brasileiros!
Passei hoje, 18/04 para meus alunos do 4º ano, eles gostaram muito!

Marca páginas - Dia do Livro

Dia do Livro

Fiz esta capinha com a imagem que pesquisei no google imagens! Não me lembro o endereço da imagem, mas não é minha, somente os escritos são meus.

domingo, 10 de abril de 2011

Escrevendo nossa língua Paiter Suruí

Escrevendo nossa língua Paiter Suruí. 

Linnnndo!

http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/escrevendo-nossa-lingua-paiter-surui-431354.shtml

História das brincadeiras indígenas

História das brincadeiras indígenas 

http://revistaescola.abril.com.br/historia/pratica-pedagogica/brincadeiras-indigenas-432167.shtml 

Leiam interessante fala sobre a peteca!

Dia do Índio

O que (não) fazer no Dia do Índio

Leia este artigo muito importante para nós professores, o que não fazer no dia do índio. Pense sobre isto! Também apresenta dicas do que fazer.

http://revistaescola.abril.com.br/formacao/formacao-continuada/nao-fazer-dia-indio-cultura-indigena-624334.shtml

site para pesquisar sobre os índios:

http://pib.socioambiental.org/pt

Vale a pena pesquisar e aprender!

Seja um professor pesquisador de suas práticas!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Dicas - História em Quadrinhos

Dicas - História em Quadrinhos

Neste site você encontrará dicas valiosas de como fazer uma história em quadrinhos, tem também na versão animada para deixar sua aula maravilhosa! Eu particularmente amei e meus alunos também!

 http://www.divertudo.com.br/quadrinhos/quadrinhos-txt.html

Plano de aula - Folder


Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
Aprender a respeito dos usos sociais do folder e seus diversos contextos de circulação;
 Escrever coletivamente um folder de acordo com as características do gênero.  
Duração das atividades
10 a 12 aulas de 50 minutos.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Estratégias para compreensão do funcionamento da escrita alfabética; leitura e interpretação.  
Estratégias e recursos da aula
  A-   Motivação e demanda do trabalho
A sequência didática orientada a seguir articula o relato de experiência de um projeto desenvolvido com uma turma de alfabetização e orienta o desenvolvimento de atividades que podem propiciar uma experiência similar.  
 O desenvolvimento deste projeto se deu a partir do reconhecimento e valorização do Livro Didático enquanto um material importante no trabalho do professor(a) alfabetizador, devido entre outros fatores, à sua qualidade hoje avaliada  periodicamente e reconhecida por especialistas dessa área de conhecimento no PNLD (Plano Nacional do Livro Didático).
Mais especificamente, a motivação ora apresentada, constituiu-se a partir da utilização de uma unidade de um livro didático de alfabetização: Português uma proposta para o letramento da autora Magda Soares (editora Moderna).  O trabalho foi realizado junto a uma turma de 2º ano/ 9 anos do Centro Pedagógico da UFMG no ano de 2009.   
A conclusão deste trabalho nos rendeu o convite para expor o processo e o resultado dessa experiência na UFMG Jovem. Trata-se de uma feira anual, realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais, na qual estudantes do ensino fundamental e médio expõem trabalhos de pesquisa.
Este convite favoreceu a divulgação do trabalho desenvolvido pois com o financiamento recebido foi possível produzir o folder com material (papel) especializado e em grande quantidade.  O aspecto mais marcante do trabalho foi a produção do suporte e do gênero para uma situação real de uso – para uso além dos muros escolares – aspecto que consideramos de grande significado para a produção e para a aprendizagem das crianças envolvidas.                                          
Segue algumas imagens do folder.
- Apresentando a unidade e o tema do Livro Didático  
 Na unidade I do livro didático utilizado: “É hora da escola”, a autora apresenta gêneros textuais diferentes para tratar de um tema específico (o peso inadequado e a postura corporal no uso das mochilas).  Para isso, apresenta os seguintes textos: “ Quanto pesa sua mochila?; Meus ombros suportam...uma mochila!”, os quais foram retirados da Revista Ciência Hoje das Crianças, ano 10, n.66 jan./fev. 1996 e Revista Zá, ano I, n.1, julho de 1996.  
 - Recursos diversificados na organização do trabalho   
Magda Soares utilizou-se de recursos/gêneros textuais diversificados para abordar a importância da imagem, do título, entre outras informações necessárias no processo de alfabetização e letramento. Estas estratégias didáticas para abordar os aspectos que compõem um determinado gênero, favorecem o professor e seus alunos a perceber que em determinado suporte textual, o título, a imagem, entre outros elementos, apresentarão características de organização e composição que o definirão como um gênero específico.    
-  Desdobramento
Uma das atividades da proposta na referida unidade era a de confecção de cartazes informativos para serem divulgados na escola. Neste momento, foi percebida a possibilidade de modificar a proposta da autora do livro didático, com o objetivo de que a escrita das crianças viesse a ser finalizada em um suporte de divulgação de caráter social mais amplo que o cartaz de tipo escolar -  oportunidade de apresentar e trabalhar com  as crianças um suporte e um gênero textual utilizado em outros contextos.                     
B-   Planejamento   
Uma vez decidido que faríamos um folder informativo dedicamos a uma pesquisa, que possibilitou conhecer mais sobre o assunto. Nesta pesquisa, abordamos ainda,   as características básicas ("definidoras") desse gênero. Assim refletimos: como se apresenta no papel; função das imagens; tamanho/quantidade de informações e a relevância das mesmas.  
Para estruturar e organizar o trabalho foi essencial realizar um roteiro de trabalho. Foi significativamente formador explorar cada item do roteiro, pois isso contribuiu com o desenvolvimento da capacidade de planejamento e avaliação do texto escrito ao longo do processo.     
Compreendemos então, que precisávamos:  
  •  Conhecer e pesquisar mais sobre o tema trabalhado (saúde do corpo, mais precisamente da coluna).
  • Compreender a organização e estrutura do gênero;
  • Definir componentes estruturais: “corpo” do texto, título, ilustração da capa, fotografias, formatação, revisão, produção final.
  • Estratégias de divulgação na escola e em outros espaços.  
C-   Pesquisa e compreensão do gênero (escolha / função social/modelo)
Para compreensão do gênero e também para ampliar os conhecimentos sobre o assunto, deve-se organizar dois momentos de pesquisa.
I -  Ampliar os conhecimentos sobre o assunto.
 - Contribuição dos familiares das crianças para que levem para escola o resultado da pesquisa sobre o tema.
- Socialização com uma apresentação, na qual, de modo resumido, as crianças apresentam as principais informações que obtiveram.
 Nesse momento, as crianças precisam ser orientadas a ter o cuidado de não repetir informação já apresentada por outro colega.
 - Explorar as fontes de informação, ou seja, como foi desenvolvida a pesquisa bibliográfica e onde foram encontradas as informações.  
II Compreensão da função social do folder   
- O que é e quais assuntos encontramos em um folder;
-  Modelos, características comuns;
- Espaços de divulgação.   
Também neste momento, podemos contar com apoio da família para que as crianças levem para escola diversos folders (independente do assunto). Esta demanda de participação da família se dá não só pelo fato de ser importante sua integração com a escola, mas também por propiciar aos alunos o reconhecimento da prática das relações sociais onde este material é encontrado.
Assim, ao trabalhar com uma atividade desta natureza, é importante que a interpretação e exploração do material os favoreça  perceber:  
  •  Os espaços onde são encontrados/distribuídos;
  • Os diversos modelos que podem apresentar;
  • As variadas temáticas que podem ser apresentadas nesse suporte/gênero;
  • A importância do título
  • O caráter explicativo, o texto curto e organizado em tópicos;
  • A importância da integração entre imagem e texto;   
DICA_ Incentive os alunos a observar que normalmente, no verso do folder constam os patrocinadores e/ou responsáveis pela elaboração divulgação.
Neste momento, selecione alguns folders para preparar uma atividade que deve propiciar a interpretação do texto e também retomar aspectos relativos à estrutura  do gênero. Se possível, trabalhe com originais: folder informativo de postos de saúdes (sobre Dengue, Gripe H1N1); folders de divulgação de eventos etc. isso favorecerá a compreensão relativa aos espaços nos quais encontramos esse gênero e as suas funções específicas em cada contexto.
Veja exemplo:

1 – Qual tipo de texto vamos trabalhar nesta atividade? Qual o seu nome?    
2 – Qual o título deste folder?       
3 – Como podemos pegar a influenza H1N1?              
 4 – Selecione três das dicas apresentadas para prevenção e reescreve, com suas palavras.                              
 5 – No caso de outras informações em qual telefone devemos ligar?      
 6 – Liste dois dos patrocinadores e divulgadores deste folder.  Onde você encontrou essa informação?            
II Elementos constituintes  
 A-   Texto (introdução / tópicos)   
Para escrever o texto do folder é necessário retomar todas as informações importantes selecionadas a partir da pesquisa. O processo dessa seleção requer especial atenção para as mudanças relativas ao gênero: de informações recolhidas em diversos materiais para um folder informativo que apresenta somente as informações mais relevantes e que tem um suporte específico a ser apresentado em determinado contexto.  
Na construção do folder, primeiramente deve-se produzir um pequeno texto introdutório que irá contextualizar o leitor, sobre a abordagem (como pode ser observado no folder sobre a Influenza H1N1).   
Reflita com os alunos que todo autor produz seu texto a partir de um estudo que lhe faz conhecer mais sobre o assunto que deseja tratar. Então, uma vez que já realizaram a pesquisa sobre o assunto, estão prontos para coletivamente produzir o texto.  
Para desenvolver este registro, conte com apoio do projetor (data show), pois com a imagem ampliada no telão todos poderão participar com dicas e críticas que qualificarão o trabalho.
Professor(a) no caso de sua escola não possuir este equipamento, trabalhe utilizando o quadro/lousa. Isso poderá implicar em mais revisões. Faça o registro do texto no quadro. Leiam juntos e corrijam o que julgarem necessário naquele momento. Registrem no caderno. Então, digite o material (sem fazer alterações ao texto original produzido pelos alunos). Em uma próxima aula reapresente o texto e façam uma leitura coletiva para verificação do que deve ser melhorado. Anotem as alterações e sempre discutam sobre a importância e pertinência destas possíveis mudanças. Desenvolva este exercício até que o texto fique adequado e satisfatório para o grupo. Esse procedimento deve ter a referência no planejamento inicial e nos objetivos que se tem ao escrever o texto.  
Na conclusão do texto é importante considerar a especificidade da linguagem infantil. Nas revisões  e na busca de qualificar o registro, deve-se ter cuidado para não descaracterizar o texto e a linguagem própria das crianças, afinal elas são as autoras.  
Dica: A partir desta experiência de revisão, enfatize que este exercício qualifica o texto, deixando-o mais claro e compreensivo. Para sistematizar trabalhe uma observação comparativa de uma primeira versão produzida e a última, por exemplo. Destaque que os autores dos livros que lemos, fazem todo este processo, para evitar erros de ortografia, entre outros.
ATIVIDADE ALTERNATIVA_ No caso da escolha dos tópicos oriente uma atividade solicitando que cada criança escreva em uma folha três ou quatro informações  que considera importante incorporar no folder. Com esta atividade, você retomará o que a criança  entendeu como sendo importante  e ainda desenvolverá uma atividade de produção de texto que implica compreender que os tópicos do folder serão organizados no formato de “listas”, ou seja, um item abaixo do outro. A partir desta estratégia, de um modo democrático, você poderá selecionar as informações mais significativas para compor o folder.   
B-   Título                                                                                       
 Como os alunos já puderam constatar na observação dos folders, o título é parte fundamental. Este, se possível, poderá ter suas letras caracterizadas em tamanhos e formas, como no exemplo da produção realizada (confira as fotos já apresentadas).
No momento de definir o título prepare uma observação relativa a esse aspecto. Sobre o título, oriente a atividade a seguir:   
  • Selecione alguns livros;
  • Exponha estes de modo que todos possam observar, mas diga que haverá uma “regra”. Todos deverão escolher um livro para ler, mas a escolha deverá se pautar somente no nome do livro não vale abrir;
  • Disponha um tempo para que possam ler o livro. Em seguida, retome a  discussão e oriente para que possam expressar em que e como o título foi importante. Pergunte como as pessoas escolhem os livros nas livrarias, por exemplo. Pergunte o que esperava ser o conteúdo do livro tendo como referência o título.
Sugerimos que a definição do título seja posterior a produção do texto. Entendemos que a função do título, é a de oferecer uma informação de tipo síntese do assunto tratado e que, portanto, deve ficar para o final.   
O título poderá ser definido por votação. Após reflexão sobre a sua função/adequação.  
Entre estes o professor(a) deverá escolher três ou quatro que atendem ao objetivo e dispô-los em uma cédula de votação para que o grupo vote.   
C-    Ilustração   
"CAPA"
A imagem deve ser criada pelos alunos.  Assim, retome a importância deste aspecto como elemento integrado ao texto. Organize este momento para que se desenvolva uma observação das imagens dos folders pesquisados pelo grupo.   
Em seguida, divida a folha A4 em quatro partes para que cada um produza um desenho, que represente o tema trabalhado. Destaque que será a ilustração da capa, e que, portanto demanda um trabalho de capricho e interlocução com o texto.  
Recolha o material produzido e solicite que seus colegas professores selecionem o que é mais apropriado para o trabalho. O mais votado será a capa do folder.  
Professor(a), observe  que sempre que possível, utilizamos estratégias diferenciadas de democracia para as definições necessárias, articulando para que todos participem ativamente de todo processo.   
ATIVIDADE COMPLEMENTAR - Propicie uma observação de novos livros e dessa vez a regra é: escolher o livro a partir da ilustração da capa e o título. Portanto, novamente, não vale abrir o livro (folhear).   
Destine um tempo para leitura e, em seguida, organize uma roda para que retomem a importância das imagens na composição global do texto.
Além dos desenhos confeccionados pelas crianças, pode-se trabalhar também com fotografias. No caso do folder como podem observar nas imagens, trabalhamos com desenho e fotografias.
III Conclusão   
Produção e divulgação   
Uma vez preparado o texto, o título, a capa, as fotografias é chegado  o momento de um adulto, com habilidade em informática, reunir e formatar o material.  
- Observação: o desenho da capa deve ser escaneado com intuito de preservar o trabalho original da criança.
Concluída a construção do folder, analise-o com os pequenos escritores, enfatizando a necessidade de revisão. Esse exercício acarretará maior sentido e significado a todo esse trabalho.    
Se possível, articule a distribuição do folder em algum evento realizado na escola ou no seu município. A “Feira de Ciências” pode ser um espaço interessante para a divulgação desse trabalho e uma boa motivação para a aprendizagem desse gênero de texto.  
Recursos Complementares
Professor(a) a fim de ampliar seus conhecimento quanto ao PNLD Plano Nacional do Livro Didático, bem como suas finalidades, acesso o seguinte endereço http://www.fnde.gov.br/index.php/programas-livro-didatico (acesso em 17 de maio de 2010). Nesta oportunidade, poderá se inteirar mais  os projetos/programas desenvolvidos pelo FNDE Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. 
Avaliação
A avaliação, nesse caso é processual e exige que o professor esteja atento aos progressos apresentados pelo grupo em cada discussão, em cada atividade e em cada revisão - tanto na oralidade quanto na produção escrita. Espera-se que os alunos envolvidos:  
 - Saibam expressar o aprendizado a respeito dos usos sociais/contextos de circulação do folder;
 - Conheçam a estrutura desse gênero textual: o que e como apresenta as informações desejadas;
- Ampliem a capacidade de realização de síntese;
- Ampliem a capacidade de produção, interpretação e revisão textual.    


Fonte  http://portaldoprofessor.mec.gov.br

 

Plano de aula - HQ História em QUADRINHOS


Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Ler diferentes histórias em quadrinhos por meio de material impresso e internet
  • Identificar as características do gênero história em quadrinhos
  • Criar histórias em quadrinhos para compor o gibi da turma
  • Divulgar as produções para a comunidade do entorno
Duração das atividades
4 aulas
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
----------------------
Estratégias e recursos da aula
Durante esta aula,os alunos terão oportunidade de ler histórias de quadrinhos por meio de material impresso e internet.. Com o auxílio de um laptop, existem inúmeros sites com interessantes histórias em  quadrinhos.
Aula 1 - Lendo  história em quadrinhos
Diversas instituições usam a história em quadrinhos para informar, conscientizar e mobilizar um grupo ou comunidade quando o tema por exemplo, sobre um assunto de relevante importância. No exemplo abaixo, retirado do site - campanha do ministério da saúde, através do uso dos quadrinhos, foi citado formas de combater e prevenir a dengue, presente no nosso país.
Através do link http://www.gigantte.com.br/index.php/2009/02/afinal-o-que-e-ou-sao-historias-em-quadrinhos/ , os alunos poderão ler um pouco sobre a história em quadrinhos.
Atividade -2
Organize os alunos em grupos e com o uso de papel sulfite, divida o grupo em alguns temas, como por exemplo, desmatamento, copa do mundo, consumo racional da água ou outro tema de importante relevância na vossa comunidade (através do laptop os alunos poderão obter dados para a elaboração dos quadrinhos).
Monte um roteiro, utilizando um editor de texto disponível no laptop ou em mesmo em um editor de apresentações.
Para cada tema, formate a forma do quadrinho em no máximo duas folhas sulfite e no máximo seis quadrinhos por folha.


Atividade - 3
Com o material produzido, organize grupos para orientar uma apresentação do que foi produzido.
Recursos Complementares
Link sobre audio citando a importância da criação de quadrinhos e o impacto positivo que ele trás para os alunos na leitura
Avaliação
Durante a realização do trabalho, na produção dos quadrinhos, procure observar dentro do contexto escolhido para a produção, como a história se inicia, desenvolve e termina, observando coerência na história. Discuta o resultados finais, o que foi aprendido e os desafios para realização das tarefas sugeridas.

Fonte http://portaldoprofessor.mec.gov.br

Plano de aula - Texto jornalístico


Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • apresentar essa importante ferramenta, que é o jornal como veículo de comunicação e informação;
  • diferenciar o texto jornalístico de outros portadores de texto;
  • problematizar as diversas formas de informar e comunicar as notícias a população;
  •  observar o tratamento da informação;
  • elaborar um pequeno texto jornalístico sobre o assunto em estudo.  
Duração das atividades
Aproximadamente 180 minutos – Três (3) atividades de 60 minutos cada uma.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
Para a realização dessa aula é necessário que o professor faça um levantamento de quem já conhece jornal impresso.

  Estratégia e recursos da aula
 Diversos jornais, revistas, gibis, bilhetes, cartas, cardápios, receitas.
1ª Atividade - aproximadamente 60 minutos
Professor, utilizando o espaço da sala de aula faça uma roda de conversa e leve vários jornais para a turma. Pergunte aos alunos se conhecem alguma forma da população ficar sabendo das notícias, se tem o costume de ler jornais, se alguém em casa tem o hábito de ler e se sabem para que serve. Estimule os alunos a falarem e conduza um debate sobre a função do jornal na sociedade. É de suma importância que os alunos entendam que o jornal é um veículo de comunicação e que é um dos meios mais rápidos de todas as pessoas ficarem informadas a respeito do que acontece no mundo. Destine um tempo para os alunos apreciarem e lerem o jornal. Em seguida, leve-os ao Laboratório de Informática e prepare o vídeo “História do Jornal Impresso” que você encontra no sítio:
e também o vídeo  “História do jornal impresso: fotocomposição”, disponível no sítio:
Depois de assistirem aos vídeos, socialize o que cada criança compreendeu sobre a história do jornal.
2ª Atividade - aproximadamente 60 minutos
Professor, para essa atividade disponha de jornais e de outros portadores de textos como, revistas, gibis etc. Problematize com a turma a diferença que existe entre um texto jornalístico e outros tipos de texto, como, bilhetes, receitas, dentre outros, explique que jornalísticos são textos que têm como veículos jornais, periódicos, revistas, e que esses veículos agrupam várias estruturas textuais diferentes, por exemplo, num jornal, encontramos charges, notícias, reportagens, entrevistas, classificados, etc. Depois do diálogo, solicite um tempo de leitura para que cada criança escolha um jornal e faça a leitura do mesmo, tentando identificar a sua constituição. Antes de começarem, oriente-os para observarem o que aparece na primeira página, que tipo de notícia ou informação aparece no decorrer do jornal.
Logo em seguida, peça para as crianças recortarem a parte que mais gostaram:  notícia, classificado, charge, dentre outros. Solicite que colem o que recortaram no caderno e escrevam o que entenderam, depois peça para procurarem palavras que não sabem o significado e registrarem no caderno. Peça também  para que justifiquem sua resposta, ou seja, escrever porque escolheram o texto que colaram.
3ªAtividade - aproximadamente 60 minutos
Para este momento, organize a turma em duplas e providencie uma reportagem para cada criança ou solicite que recortem do jornal. Procure fazer uma seleção prévia das reportagens, para evitar que vejam notícias que não são adequadas para faixa etária. Para interpretar uma notícia é necessário que as pessoas pensem em algumas perguntas, por exemplo: Quem? O quê? Quando? Onde? Como? Por quê?
Professor, você poderá trabalhar a reportagem de duas maneiras:
_ Na primeira você deverá providenciar uma reportagem para cada dupla ou solicitar que recortem do jornal. Em seguida, peça para as crianças interpretarem a reportagem respondendo oralmente essas perguntas: Quem? O quê? Quando? Onde? Como? Por quê? . Concluída esta etapa solicite que registrem esta atividade no caderno ou em uma folha separada para fixar no mural.
_ Na segunda proponha aos alunos que realizem a atividade ao contrário. Você, professor, irá fornecer as respostas destas seis perguntas e as crianças irão redigir a notícia, ou seja, dessa maneira será criado o texto jornalístico. Após a realização da atividade, a turma poderá organizar um jornal falado, apresentando a notícia para outras turmas da escola.
Recursos Complementares
FARIA, Maria Alice. O jornal na sala de aula. 13. ed. São Paulo: Contexto, 2007.
Avaliação
As diferentes atividades realizadas nos mostrarão avanços e dificuldades da turma em relação ao conteúdo trabalhado na aula. A avaliação deve ser contínua em todo processo, observando a compreensão das crianças sobre o entendimento da função do jornal na sociedade, bem como dos tipos de textos contidos nos diferentes  portadores de textos.        
Fonte http://portaldoprofessor.mec.gov.br

Plano de aula - Manchete


Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula
  • Ler e interpretar manchetes do jornal impresso;
  • Reconhecer a função da manchete de um jornal;
  • Criar manchetes jornalísticas a partir de um texto.
Duração das atividades
2 a 3 aulas, 30 min cada.
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno
De alguma forma seria interessante que os alunos tivessem alguma experiência com jornais e percebesse a função social dos mesmos.
Estratégias e recursos da aula
Atividade 1 -  Fazer comentários sobre o tema de manchetes
1º momento- Professor escolha previamente um jornal de sua preferência, leve para a sala e faça a leitura de algumas manchetes. È interessante que as manchetes estejam relacionadas com mais de um tema, como no  exemplo destacado.
fonte:
 Manchete 1-  A festa de Miguel terá muita alegria e diversão.
 Manchete 2 - Salários de professor deve ultrapassar R$ 8,9 mil.  
Manchete 3 - Prefeito de Guarapari retoma o cargo.
Manchete 4 - Aluno é expulso por causa do chulé.
 a) A cada manchete lida, o professor  questiona:
  •  o que vocês entenderam dessa manchete?
  •  De que trata a manchete? Já  ouviram algo parecido com essa manchete?
  •  O que vocês podem falar sobre essa manchete?
Observação - As crianças ditam e o professor escreve, nesse momento elas dizem como escrever as palavras, ele vai questionando e reconstruindo o que foi dito. Os alunos também fazem uma demonstração de como as palavras ditas são escritas, com lápis e papel,  podem  escrever e mostrar a grafia.
2º momento - Professor estimule os seus alunos a pensar em situações vivenciadas na escola e escrever em forma de manchete. Você deve proceder da seguinte maneira:
  • pedir  às crianças para imaginar situações que vivenciaram na escola;
  • listar 3 situações;
  • fazer o ensaio de como escrevê-las em forma de manchete;
  • refletir como melhorar o que foi escrito.
Observação- Professor ouça as diferentes opiniões sobre o tema e respeite as mesmas, tente que os alunos façam conexão com a realidade, com seu cotidiano, citando situações da família, da escola, do bairro e  da cidade.
Atividade 2 - Apontar a diferença entre as manchetes
1º momento -  Professor mostre duas manchetes completamente diferentes e solicite  que os alunos  apontem a diferença, revelando a temática de cada manchete. Deixe as crianças expressarem o que lhes vier à cabeça, oportunize que elas no turno de fala, estabeleçam um diálogo,  podem repetir a idéia dos colegas, complementar, não concordar, nesse caso verifique a possibilidade de pontos de vista diferentes ou a negociação para se chegar a um consenso (o consenso não é obrigatório), mostre a possibilidade da diferença entre as opiniões e também os equívocos.
 2º momento - Professor, logo após a discussão, propicie um momento em que as crianças façam um resumo das ideias discutidas e organize os alunos em duplas para escrever de acordo com o nível de escrita que já alcançaram, em seguida, elas ditam o que escreveram e você registra em uma cartolina ou em papel madeira.  Para prosseguir o exercício da escrita, analise com os alunos,  as duplas que escreveram a mesma ideia e planeje como juntá-las em um texto.
Atividade 3 - Ler e interpretar manchete de jornal
1º momento - Professor recorte  três manchetes diferentes com o mesmo tema e cole em uma folha de papel, organize as crianças em duplas e entregas uma cópia  a cada dupla. Leia cada manchete em voz alta e as duplas indicam a manchete que você está lendo.
2º momento - Professor discuta com os alunos a forma de escrever cada manchete abaixo destacada e verifique o sentido de cada uma. Ao final, é importante que eles percebam que a maneira de escrever é diferente, mas o sentido do que está sendo dito é o mesmo.
  • Descanse em paz Micheael.
  • Michael Jackson morre aos 50.
  • O rei está morto.
  • Morre Michael Jackson.
Para desenvolver a atividade de atribuir sentido ao texto (manchete) você solicita que os alunos desenvolvam as seguintes ações:
  •  Observar as fotos das  manchetes;
  • Escutar o que diz cada manchete
  • dizer de que trata cada manchete.                                                                                                                                                                                          
Ao final os alunos constroem oralmente outra manchete com tema similar.
Observação - A construção da manchete pode ser coletiva, cada dupla sugere e a turma chega a um consenso. Nesse momento, o professor escreve e lê o que foi escrito, para os alunos.
3º momento - Digite ou escreva a mão, a manchete construida pela turma e entregue a cada alunos para ilustrá-la, ou seja, para desenhar e  pintar (representar graficamente)  o que foi escrito.  Ao final, cada dupla mostrará seu trabalho para o grande grupo.
Recursos Complementares
Pesquisar nos sites:
Avaliação
Ao final das atividades, observar:
  1. se localizam onde se encontram as manchetes nos jornais trabalhados;
  2. se lêem sozinhos ou com ajuda as manchetes e fazem uma interpretação coerente com o tema;
  3. se conseguem interpretar um texto lido pelo professor e escrevem (escrita espontânea) um título para o texto em forma de manchete.
Fonte http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=23319